,

O QUE TE TRAZ ESPERANÇA?

Onde está sua esperança?

Como anda sua esperança como brasileiro? Antes de prosseguir, reflita! Em difíceis dias do Reino de Israel, por volta do ano 609 a. C, quando babilônios invadiram e subjugaram o povo israelita, um profeta judeu de nome Jeremias, escreveu, “… lembro-me também do que pode dar-me esperança” (Lamentações de Jeremias 3:21). Ele decidiu ter esperança, mesmo em meio ao caos, prisão e desesperança.

Hoje, em dias tão obscuros, as notícias de desemprego, corrupção e violência enchem nossas telas, tentando-nos a perder a esperança. No âmbito municipal, estadual e federal, empresários e políticos poderosos, no executivo, legislativo e até judiciário, continuam com malas cheias de dinheiro sendo entregues à luz o dia. Presidentes e ex-presidentes continuam não sabendo de nada, mentindo abertamente para a nação. Aceitam favores de executivos com iniciais do nome do proprietário estampadas na fuselagem do avião, mas em nota afirmam não saber a quem pertencia o jato. Um juiz do supremo bate boca com seu colega da mais alta magistratura, numa descarada tentativa de tentar livrar seus apadrinhados com teses duvidosas de brechas das manipuláveis interpretações da lei. Nossa ex-presidente, que dizia até pouco tempo que delatores não eram confiáveis, agora diz que os mesmos são boas fontes. Partidos políticos tornam-se organizações criminosas. Agremiações, clubes, sindicatos, civis e militares, homens e mulheres se corrompem. Mega traficantes presos trocam recados em presídios de segurança máxima e até mesmo as igrejas se seduzem pelo poder temporal.

O que pensar? Que não existe mais esperança? Mais do que nunca, não podemos basear nossa esperança nos que deveriam trabalhar pelo povo e pelo desenvolvimento da nação, mas estão apenas tentando criar leis para se safarem da justiça por seus crimes. Nossa esperança deve permanecer em Deus. Cremos que Dele vem a solução para uma mudança cultural. Ainda acredito na justiça institucional, em iniciativas de alguns nobres magistrados, como o Juiz Sérgio Moro ou o jovem Procurador da República Deltan Dallagnol, um homem cristão, capaz, competente, corajoso, qualificado e íntegro. Embora acredite neles, eu confio mesmo é em Deus, que é o Justo Juiz, que criou e governa tudo.

Ele nos trará novos tempos. Dele virá a solução para uma grande mudança. Da nossa parte precisamos crer, orar e se manifestar condenando a corrupção e seus corruptores, promovendo a ética e a justiça, cada um trabalhando pela paz e o bem comum em seu raio de ação e influência.

E acima de tudo, não perdendo a esperança. Escolha a esperança! “Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois aquele que prometeu é fiel” (Hebreus 10:23).

Carlito Paes
Pastor Líder da Igreja da Cidade em São José dos Campos e Rede de Igrejas da Cidade.