,

SEMANA SANTA QUARESMA, DIREÇÃO À PÁSCOA

Está chegando o tempo da Páscoa, que terá início no próximo domingo para os cristãos. Embora seja uma festa de herança judaica, é o ápice da quaresma cristã.

A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos, referindo-se à entrada de Jesus cidade de Jerusalém, ocasião em que povo recolheu galhos de árvores e palmas para saudá-lo (Evangelho de Mateus 21:9).

A Semana prossegue em memória dos eventos da traição, julgamento, crucificação no cruel calvário durante a sexta-feira, até ao domingo da ressurreição.

Celebrada em todo mundo, a festa judaico-cristã é o ponto alto da fé tanto para cristãos católicos, quanto evangélicos e ortodoxos, naturalmente, com suas características e tradições específicas, mas, com o mesmo intuito de celebrar esta data especial.

Enquanto a festa judaica “Pessach” relembrava a libertação do povo hebreu do domínio da escravidão egípcia, com o símbolo do sangue do cordeiro nos batentes das portas, a Páscoa cristã passou a celebrar a libertação dos pecados por meio da paixão de Jesus, martirizado, crucificado e ressurreto.

Na semana declarada santa por mais de dois bilhões de pessoas em mais 200 países do mundo, cristãos relembram com contrição, jejuns e orações a saga de fé, amor, renúncia e sacrifício que Jesus fez vicariamente pela humanidade. Há, inclusive, cristãos perseguidos que, por serem minoria em seus países hostis e sem liberdade de religião, também celebraram a Páscoa sob risco de morrer por sua fé.

É muito importante relembrar que Jesus não lutou por uma causa, como gostaria alguns de seus discípulos judeus frente à opressão do império romano.

Jesus lutou por vidas e para dar a cada um liberdade. Por isso mesmo, Jesus transcende ao cristianismo como religião, com seus erros e acertos.

É impressionante que passados vinte e um séculos, mesmo sem nunca ter saído fisicamente da região de Israel, Jesus continua atraindo bilhões de pessoas em toda a Terra.

Igrejas continuam cheias e a influência da fé cristã continua rompendo barreiras.

Continua sendo a maior religião da humanidade (a segunda tem pouco mais que a metade de seu tamanho), apesar dos erros e pecados de cada cristão.

O Brasil é um dos maiores países cristãos do mundo. Em São José dos Campos acontece a maior encenação de páscoa do Vale do Paraíba, o Auto de Páscoa, este ano com o espetáculo “Emunah”.

O espetáculo que leva o nome de “fé”, em hebraico, vem com muitas novidades em sua 14ª edição. Centenas de vozes, cerca de 70 instrumentos orquestrados, solistas, corpo de teatro e de dança contarão a história de Jesus Cristo, desde o nascimento à crucificação, com grande cenário, figurino e efeitos especiais.

O Auto de Páscoa tornou-se tradição na cidade e é parte do calendário de eventos oficiais de São José dos Campos. Ao longo de 14 anos, já passaram pelo evento quase 500 mil pessoas. A expectativa em 2017 é de um público de 40 mil pessoas.

Para realizar o evento deste ano, mais de mil voluntários estão envolvidos, atuando desde o coro, orquestra, teatro, figurino e cenografia à recepção e logística.

Recomendo a você e sua família! O espetáculo acontecerá no Campus Colina, que conta com mais de 4400 vagas para carros e um amplo auditório para 6.000 pessoas, com uma equipe de voluntários para auxiliar a sua chegada desde o estacionamento, que é gratuito. Você pode escolher entre oito pontos de troca, espalhados pela cidade, para trocar um quilo de alimento não perecível por um ingresso.

No ano passado, 25 toneladas de alimentos foram arrecadadas e distribuídas para várias entidades sociais do município. O Campus Colina está situado na Rod. Pres. Dutra, km 145. “Emunah” acontece de 10 a 15 de abril, às 20h de segunda a quinta, e às 16h e às 20h na sexta e no sábado.

Boa quaresma para você e sua família! Vamos receber, celebrar e repartir a vida plena de Jesus e seu sacrifício de amor por cada um de nós.

Com carinho, seu amigo, Pr. Carlito Paes!